Osteoartrose O Que É e Tratamentos Adequados

Mulher sofrrendo com Osteoartrose

Osteoartrose é uma doença que ataca as articulações e atinge majoritariamente os adultos acima de 40 anos e idosos acima de 60 anos.

Entenda mais sobre a doença, sintomas e tratamentos que podem auxiliar na cura e redução das dores causadas pela Osteoartrose.

 

O que é osteoartrose?

A osteoartrose é uma doença que atinge, essencialmente, a cartilagem articular. Essa cartilagem é um tecido conjuntivo elástico encontrado nas extremidades dos ossos que se associam entre si.

A cartilagem articular é alimentada pelo líquido articular ou líquido sinovial. Esse líquido é muito viscoso e contribui para lubrificar a articulação, facilitando os movimentos e possibilitando que as articulações saudáveis e as cartilagens deslizem umas sobre as outras sem fricção, ou seja, sem causar desgaste.

A cartilagem articular é formada por água e condrócitos. Os condrócitos são células especializadas, que representam 5% do volume total da cartilagem.

Eles são responsáveis pela formação de proteoglicanos, colágeno, proteínas não colagenosas, glicoproteína e água.

O principal colágeno é o do tipo II, que fornece a força de tensão para a cartilagem articular. Os proteoglicanos consistem de glicosaminoglicanos, que estão ligados a uma proteína central, que por sua vez está ligada a molécula do ácido hialurônico

Na osteoartrose os condrócitos vão morrendo, o que faz diminuir a produção de proteoglicanos e de colágeno.

Essa diminuição fere a cartilagem articular e faz com que o osso que está por debaixo dela chamado osso sub-condral reaja, alargando-se e dando origem a saliências ósseas chamadas osteófitos.

Essas saliências geram dores, dificuldades para realizar movimentos, deformações, entre outros.

Os osteófitos são conhecidos, popularmente, pelo nome de “bicos de papagaio”, porque alguns deles, ao raio X, geram imagens que lembram o bico de um papagaio.

Sintomas da osteoartrose

 

Mulher sofrendo com Osteoartrose nas pernas

Entre os principais sintomas da osteoartrose estão: dor, rigidez, limitação dos movimentos e, em fases mais avançadas, deformações.

A dor tem um ritmo mecânico, que é caracterizado pelo fato das dores se agravarem ao longo do dia com movimentos e esforços, mas melhorarem quando a pessoa repousa, especialmente quando se deita.

Por regra geral, os doentes com osteoartrose não têm dores durante a noite e dormem bem, embora em alguns casos muito avançados de artroses do quadril e dos joelhos as dores possam também surgir durante a noite.

A rigidez da osteoartrose é de curta duração e não ultrapassa 30 minutos. A limitação de movimentos pode surgir precocemente, ao contrário do que acontece com as deformações que, em regra, são tardias.

Tratamento da osteoartrose

Os objetivos do tratamento da osteoartrose são aliviar ou, se possível, eliminar as dores, melhorar a mobilidade das articulações atingidas e evitar a atrofia dos músculos relacionados com as articulações afetadas e impedir o agravamento das lesões já existentes.

A osteoartrose não é tratada apenas com medicamentos e fisioterapia. O empenho do paciente é indispensável, pois sem ele o tratamento não terá êxito.

Fazem parte do tratamento:

  • A educação do doente (seguir corretamente a terapia recomendada pelo médico);
  • Repouso relativo;
  • Plano de exercícios.

A osteoartrose não tem cura, mas tem tratamento, que permite à pessoa levar uma vida normal na grande maioria dos casos.

Essa é uma doença benigna e tem um bom prognóstico. Desmistificar a doença é muito importante, já que em muitos casos o principal medo do paciente é ficar completamente incapacitado.

O paciente deve aprender as regras gerais de proteção do aparelho locomotor, e a correção das posturas incorretas.

Há também tratamento natural para osteoartrose, como o chá de canela-de-velho.

A canela-de-velho, Miconiaalbicans, é uma planta muito comum no Nordeste brasileiro. É do gênero botânico Miconia, pertencente à família da Melastomataceae, muito utilizada na medicina popular.

A Miconiaalbicans é uma planta arbustiva (de 0,7 a 3 m de altura) também conhecida como quaresmeira-de-flor-branca, prima das outras quaresmeiras – de flor roxa e rosa – que já são conhecidas.

Cuidado, há outras plantas que são conhecidas como canela-de-velho, portanto, é importante saber o nome científico e memorizá-lo (por isso o citamos) para você saber o que está tomando.

A canela-de-velho (Miconiaalbicans), é bastante estudada por suas propriedades medicinais e curativas.

Seu uso para tratar doenças inflamatórias como artrites, artroses e reumatismo tem grande comprovação nas comunidades tradicionais da região nordeste.

Alguns estudos mostram as suas propriedades terapêuticas no tratamento do Mal de Chagas, pois ela age sobre o Tripanossomacruzis, causador desta doença.

A canela-de-velho tem como princípio ativo os Flavonóides e compostos triterpênicos (ácido oleanólico e ácido ursólico) e propriedades medicinais como Anti-inflamatória, analgésica (anti-nociceptivo), antioxidante, antimutagênica, antimicrobiana, antitumoral, hepatoprotetora, tônica digestiva.

A canela-de-velho é indicada no tratamento terapêutico das seguintes doenças:

  • Artrose
  • Osteoartrose
  • Artrite reumatóide
  • Fibromialgia
  • Dores e inflamação das articulações
  • Dores na coluna
  • Bursite
  • Redução de radicais livres
  • Purificação do sangue
  • Reumatismo
  • Tendinite
  • Torcicolos
  • Processos inflamatórios, especialmente aqueles que são acompanhados de inchaço local

São utilizadas as folhas da planta para preparação do chá.

Receita do chá de canela-de-velho:

É possível fazer um c há de canela-de-velho, isso ajuda, mas não é efetivo como o medicamento manipulado que tem alta concentração. Abaixo segue como fazer:

Ingredientes

  • 15 folhas da planta.

Modo de preparo

  • Coloque as folhas em 1 litro de água e deixe ferver por 30 segundos – desligue o fogo, tampe a panela e deixe descansar alguns minutos.
  • Coe e tome duas xícaras por dia, antes do almoço e antes do jantar, e o restante use para “lavar” as áreas doloridas.

Para ter resultado o chá deve ser tomado diariamente, por pelo menos 30 dias e, de acordo com as indicações, poderá seguir tomando por até 60 dias. Ou seja, o chá de canela-de-velho é um medicamento de uso prolongado e continuado.

O processo de tratamento é diferente de pessoa para pessoa. Algumas pessoas, dependendo do estágio da doença, podem não ver resultados devido à falta de concentração do chá.

Nesses casos, use o medicamento manipulado que tem maior concentração.

 

Canela de Velho
Confira a canela-de-velho manipulada 500 mg com 60 cápsulas, mais efetiva para auxiliar no tratamento com alta concentração.

 

 

O que causa a osteoartrose?

A osteoartrose é muito rara antes de atingir a idade de 40 anos e muito comum após os 60 anos.

Durante muito tempo pensou-se que a degeneração da articulação e, conseqüentemente, a artrose, era um processo natural do envelhecimento.

Contudo, hoje já sabemos que a idade é um dos principais fatores de risco, mas não é o único.

Além da idade outros fatores de risco para a osteoartrose são a obesidade (principalmente articulações do joelho), ser do sexo feminino (mulheres têm até 3 vezes mais chances de desenvolver osteoartrose do que homens), falta de prática de exercícios (exceto os de alto impacto nas articulações, que podem levar à artrose), predisposição genética, entre outros.

Está obeso (a)? Veja os medicamentos manipulados que podem auxiliar:

 

A osteoartrose pode ser:

  • Primária: quando não há uma causa aparente além da idade.
  • Secundária: quando surge devido a traumas nas articulações, deformidades ósseas, obesidade, diabetes, etc.

Podemos resumir como principais fatores de risco para desenvolvimento da osteoartrose:

  • Sexo feminino.
  • Não ter osteoporose (ossos fortes na velhice aumentam o risco de artrose).
  • Ocupação (trabalhos que forcem as articulações cronicamente).
  • Atividades desportivas de alto impacto.
  • Traumas nas articulações.
  • Doenças musculares.
  • Predisposição genética.
  • Deformidades ósseas.
  • Diabetes Mellitus.

 

Diagnóstico da osteoartrose

O diagnóstico da Osteoartrose é baseado nos sintomas, na observação articular e na avaliação radiográfica das articulações.

A ecografia e ressonância podem ajudar no diagnóstico e a orientação terapêutica.

A osteoartrose, por si só, não causa alterações nas análises laboratoriais.

 

Qual a diferença entre osteoartrose e osteoartrite

Os termos Osteoartrose, Osteoartrite e Artrose definem uma mesma doença que pode acometer até 30% da população adulta acima dos 50 anos.

O prefixo “artro” vem do grego “arthros” e significa articulação, se colocarmos o sufixo “ite” que significa inflamação, teremos a etimologia da palavra “artrite”. O mesmo acontecerá ao juntarmos o sufixo “ose” que significa degeneração.

Os termos Osteoartrite e Osteoartrose surgiram depois, com o objetivo de exemplificar melhor a doença artrose, quando foi descoberto que o osso sub condral (embaixo da cartilagem) participava no processo fisiopatológico da doença.

Portanto, quando nos referimos a Osteoartrose, Osteoartrite ou Artrose, estamos falando de uma mesma doença que deve ser tratada o mais cedo possível, para que a mesma não cause incapacidade.

 

Dicas para evitar a osteoartrose:

  • Dormir em cama dura, preferencialmente em decúbito dorsal, isto é, de “barriga para o ar”, posição que proporciona um repouso completo da coluna vertebral.
  • Não permanecer durante muito tempo na mesma posição, sobretudo nas posições de pé ou sentado. A longa permanência nestas posições gera uma sobrecarga para a coluna, em particular para a coluna lombar, o quadril e os joelhos.
  • O pescoço deve andar em hiper-extensão e nunca encolhido ou vergado. Esta postura é muito importante para os doentes com cervicartrose (artrose da coluna cervical).
  • Evitar pegar em objetos pesados, o que constitui uma grande sobrecarga para as articulações da coluna vertebral.
  • Evitar as flexões da coluna vertebral. O doente, quando tiver de pegar um objeto do chão, não deve abaixar a coluna, mas sim dobrar os joelhos.
  • O vestuário deve ser simples e prático, evite roupas apertadas.
  • Os sapatos devem ser confortáveis e resistentes e os saltos não devem ser altos. Os saltos altos aumentam a lordose lombar, criando dores neste segmento de coluna.
  • Regular corretamente a altura das cadeiras e assentos para evitar que se passem várias horas com postura incorreta sobre a mesa de trabalho.